Image Map

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Accepted - Capítulo único

Accepted

<




Narrado por


Estava na frente do computador esperando-o ficar online. Enquanto isso não acontecia curtia as postagens das pessoas, até que seu nome apareceu na tela. Tentei esperar uns minutos para não parecer uma desesperada.


Diz: Oi!
Diz: Hey!
Diz: Está atrasado 10 minutos!
Diz: Minha mãe fez eu arrumar meu quarto rsrs
Diz: Tudo bem :)


"Nova notificação: Publicou uma nova foto"


se apressou em ver a foto, sorriu e curtiu.


Diz: Incrível como é a primeira a curtir minhas coisas haha
Diz: :X
Diz: O que faz?
Diz: Só conversando com você. E você?
Diz: Conversando com você e uns amigos.
Diz: Ah!
Diz: Mas como foi seu dia?
Diz: Bem entediante. Meu professor de...


E começaram a longa conversa de todas as noite!


Narrado por


Era incrível como com ele o assunto fluía assim de repente. Fazia dois meses que nos falávamos, assuntos variados, as vezes sobre a banda dele, ou sobre meu time de vôlei, as vezes sobre nossas vidas pessoais, temos até conversas mais quentes, dos sonhos que temos um com o outro e como ambos se gostam muito. Ele era perfeito!


***


Diz: Minha mãe está me enchendo o saco. Preciso desligar!
Diz: Tudo bem linda.
Diz: Boa Noite !
Diz: Boa noite, sonha comigo!
Diz: Não precisa nem pedir :x


***


- Saiu daquele computador, finalmente! – Sra. exclamou.
- Estava falando com o .
- Já disse que não quero que fale com ele . Nem sei se ele realmente existe.
- Mãe. Ele é meu amigo.
- Ele pode ser um maníaco que quer meninas indefesas feito você.
- Ele é diferente.
- Você precisa aprender a não confiar nas pessoas só porque elas se dizem boazinhas.
- EU JA DISSE QUE ELE É DIFERENTE!
- NÃO GRITE COMIGO POR CAUSA DE UM MOLEQUE QUE VOCÊ CONHECEU NA INTERNET. JA PRO SEU QUARTO, E SEM INTERNET POR 1 SEMANA!
- Mas mãe...
- AGORA!


subiu chorando para o quarto se jogando na cama. Olhou para o notebook, antes de sua mãe tirar ela tinha que avisar , ela ligou e mandou uma mensagem a ele.


Diz: , briguei com minha mãe e vou ficar uma semana sem internet! Bom, só queria avisar! Não esquece de mim...Beijos!


***


 (Dois dias depois)


- Oi Meninas! – cumprimentou.
- Oi amiga. – Sorriu
- Esta tristinha. – comentou ao observa-la.
- Faz 2 dias que eu e não nos falamos.
- sabe que não gosto muito dessa amizade. – disse.
- Por favor, não seja que nem minha mãe.
- Ok, ok! Por que não estão se falando?
- Minha mãe tirou minha internet.
- Péssimo em. – comentou.
- Uhum.
- Mas se anima, que tal irmos ao shopping? – perguntou dando pulinhos.
- Pode ser!
- Vamos se divertir!
- Vamos! – disse sorrindo.


***


- Olha esse vestido que lindo. – mostrou.
- É lindo mesmo. – respondeu e as duas olharam que estava desanimada
- Amiga, por favor.
- Desculpem! – pediu.
- E ai?
- Ele é lindo . - Ficaram em silêncio, e o celular de tocou - Um minuto. – Atendeu.


: Alô!
xx: Oi!
: Quem está falando?
xx: Não está reconhecendo eu, linda?
: Não.
xx: O . - arregalou os olhos.
: ?
xx: Sim. - Riu fraco.
: Oi. - Ficou vermelha.
: Não vai ficar com vergonha né?
: Que isso! Não, claro...


- Olha - mostrou o vestido.
- Lindo!


: Oi?
: Não, *to falando com a minha amiga aqui.
: Onde está?
: No shopping.


(...)


- Era ele? - perguntou.
-  Era! - sorriu.
- E?
- A voz dele era bem suave, um pouco baixa, ele tem jeito de ser meio tímido.
- Santa timidez! – comentou rindo.
- Mas pelo menos agora sabemos que ele existe.
- Sim! – respondeu entusiasmada.
- Hum...e pelas fotos ele parece ser gatinho.
- Parece...não...não parece...ele é...perfeito! - As meninas riram.
- Está na hora de se conhecerem.
- Acho melhor não. – disse encarando .
- Por que? – perguntou.
- Ainda é arriscado.
- Eu e ele vamos nos falar mais, ai quando eu estiver confiante eu vou.


 (1 semana depois)


: Me diz então como está agora...
: Deitado, esparramado na cama, sem nada pra fazer! - ouviu um risinho.
: Quem está ai?
: Ninguém, é a televisão. – Ela sentiu o desconforto dele mas ignorou.
: Hum.
: E você?
: Deitada com frio.
: Queria estar aí pra te esquentar.
: Também queria! – Corou.


 (Mais dias)


: Vai, me fala.
: Não, você é muito convencido.
: Por favor!
: Está bem! Eu gosto da sua boca...
: E?
: Também gosto de seu cabelo bagunçado. - Ela olhava a foto dele pelo notebook - E suas mãos.
: Minha mão? - Ele riu.
: Pelas fotos elas parecem ser bem firmes! – Riram.
: Gosto do seu cabelo...eles são perfeitos!


 (...)


- Ele quer me ver, ele quer me ver. – estava feliz.
- Calma menina! – pediu.
- Meninas eu...eu estou apaixonada.
- A não... – suspirou.
- entenda, eu gosto dele mesmo.
- Ok! E vocês marcaram de se ver? – perguntou.
- Não. ele só disse que morria de vontade de poder me abraçar.
- Hum. E o que está esperando para marcar? - olhou a amiga. - Se você quer...
- Ok!


(...)


chegou em casa e foi direto para o computador.


diz: Oi...
Diz: Oi Linda!
Diz: Estava pensando...que tal nos encontrarmos?
Diz: Finalmente?
Diz: Finalmente :)
Diz: Ótimo! Sábado no shopping do centro? É um pouco longe de casa mais é mais fácil pros dois.
Diz: Sim! Sábado as 2!
Diz: Ótimo! :) Mal posso esperar!


(...)


- Como estou? - Mostrava seu vestido as meninas.
- Linda!
- Simplesmente perfeita!
- Será que ele vai gostar?
- Vai amar.


se olhou no espelho e sorriu.


- Amiga tem certeza que não quer que nós vá junto? nós ficamos longe.

- , confia no , ele é legal.
- Ok, ok!
- Preciso ir...
- Ja chamei o taxi. – avisou.
- Me desejem sorte!
- Boa sorte! - sorriu e saiu. As meninas foram logo atrás, desconfiadas.


(Do outro lado da cidade)


- Espera seu merda! - Puxou para o seu quarto - O Jorge me disse que tinha um fake meu. - Sentou na frente do computador.
- Essas meninas! – Riu.
- Olha. - Mostrou o face - Ta bem atualizado em.
- É!
- Olha o e-mail. Como será que é a senha?
- Algo como, “eu amo o ” Ou " Gostosão" - riu.
- Fico no "Eu amo o "


Eles tentaram e nada.


- Ishi... - Pensaram, pensaram, até digitar outra senha e entrar - Ui. Qual foi?
- " Gostosão" – Gargalharam - Vamos fuçar meu Facebook!


 (...)


estava sentada na mesa esperando...Estava atrasado 15 minutos. Até que...


xx: ?


(...)


- Caraca mano. Tadinha da menina.
- Ih cara, isso é coisa de quem? - Olhou .
- Não sei...mais isso é armação.
- Cara, to com mau pressentimento.
- Ishi, ta afim de ir ao shopping? - fez careta.
- Por tanto que não demore!
- Bora logo! - Saíram do quarto - Mãe to indo no shopping”
- EPAH, PODE ESPERANDO! Que desculpa esfarrapada.
- É sério mãe. Eu to atrasado.
- Vai tia deixa!
- Vai mais volte logo!
- Valeu! - Saíram as pressas.


 (...)


- Quem é você? - Olhou a menina loira que sorria.
- querida! – Gargalhou - Não lembra de mim?
- N-não.
- Caiu feito bobinha não , como sempre.
- Quem é você? - Se levantou assustada.
- Há um ano, você fez todos ficarem contra mim. Não se lembra? – Riu.
- ?
- É querida, aquela que foi expulsa do colégio por sua culpa. Se tivesse ficado quieta e não contasse a diretora sobre nossa brincadeirinha com você, tudo estaria normal e eu não teria que me vingar.
- Eu estou esperando o !
- Garota se toca, não existe nenhum, eu só fiz uma brincadeirinha. E olha...que bom que você escolheu esperar na mesa aqui de fora do shopping! – Sorriu - Facilita meu trabalho. – Puxou o braço da garota com força a arrastando dali. tentava se soltar, mas logo um garoto chegou e ajudou que ria do desespero da garota.


(...)


- Cara, olha lá. – apontou para a garota que era arrastada.
- ?
- A Maluca. Tinha que ser. – Correram até lá.
- Me solta . – pedia chorando baixinho. – Não foi minha culpa.
- Cala a boca. Se tivesse fechado a porcaria da sua boca não teria que pagar por isso.
- , solta a garota! – falou quando alcançou eles. A garota o olhou assustada.
- , eu só estava bri...
- Solta agora. – Falou já sem paciência. se aproximou do garoto que segurava o outro braço da garota.
- Você também cara. – disse o encarando.
- Nós só estávamos fazendo uma brincadeira, não precisa desse drama. – O garoto disse soltando. – Vamos . – Puxou a loira.
- Você está bem? – perguntou a outra que chorava. Ele a viu se desequilibrar e a segurou. – Ela já foi embora. – A segurou firme e olhou que ligava para a policia.
- Amiga! – chegou assustada. – Estávamos te esperando na praça de alimentação. Ficamos preocupadas quando comentaram que estavam tentando sequestrar uma garota no estacionamento. – Só então os garotos viam que de longe algumas pessoas observavam, e seguranças se aproximavam.
- , e-ela... – não conseguia falar.
- Ta tudo bem. – disse abraçando a amiga.


(...)


- E ai? – perguntou quando entrou na delegacia.
- Ela ta vindo depois de dar pt e perguntar o porquê de eu estar em uma delegacia.
- Hum. - Olhou as três meninas que estava um pouco distantes sentadas.


(...)


- Você tem que se acalmar amiga. - estava encostada com a cabeça em que a abraçava e do outro lado segurava sua mão.
- Você está pálida. – comentou.
- Eu quero ir embora. – disse com a voz rouca, consequência do choro.
- Pelo menos ele existe, certo? – tentou a animar.
- Existe um que eu não conheço , armou para mim! – Chorou.


(...)


- To com dó da menina. – comentou olhando elas.
- Não sabia que era tão maluca assim.
- Depois dessa nem me aproximo.
- , . – Sra.  chegou desesperada.


(...)


- Filha... - Abraçou a filha que estava na enfermaria da delegacia. - Está tudo bem?
- Foi apenas um susto. Mas poderia ter sido pior. – A enfermeira falou sorrindo simpática.
- Eu te avisei .
- Desculpa mamãe.


(...)


- Vou conversar com a mãe da menina, fiquem aqui! - Falou para os meninos que se sentaram, a mulher saiu.
- Obrigada, mesmo! – agradeceu se aproximando.
- Que isso, sorte nós termos entrado naquela conta hoje para ver o que estavam aprontando. – disse.
- Foi fácil descobrir a senha do Face. – disse.
- Aliais, Sou e essa é .
- Tenho boca. - deu língua e as duas sorriram - Sou !
- Sou Mas podem me chamar de como quiser.
- Já sabem meu nome mais vou me apresentar. Sou o ...
- , a não tem culpa ok?
- De Boa. A é meio maluca.
- Meio? Ela persegue o ... – disse.
- Não sabia que ela chegaria a esse ponto. – comentou.
- Na verdade  é uma ex colega. – disse.
- Ano passado ela foi expulsa, depois de a contar a diretora que tinha a trancado no banheiro interditado do nosso colégio no escuro. – explicou.
- Foi tipo uma tragédia com a , pois ela morria de medo. Ela estava com medo de contar, mas ai eu e a convencemos. – completou.


(...)


  estava esperando a enfermeira e a sua mãe voltar quando a porta abre, ela olha e vê o que deveria ser .


- Oi! - Fechou a porta.
- Oi! - Abaixou a cabeça.
- Está melhor? - Ela mexeu a cabeça positivamente.
- Desculpa por tudo isso.
- Eu que tenho que pedir desculpas por tudo.
- Tudo bem. Você não tinha nada ver com isso.
- Bom, eu só queria pedir desculpas mesmo. Melhoras.
- Obrigada! - Ele saiu.


(3 dias depois)


- Amiga chegou um novo convite. - mexia no computador da enquanto a mesma estava deitada.
- Quem?
- .
- Hum, não aceita.
- esse é o real. – Riu.
- Mas... - Abaixou a cabeça.
- Não é só porque você se apaixonou pelo outro "" que na verdade não existe, que você vai colocar culpa nele. – que estava até então em silêncio falou.
- Aceita! – reforçou.
- Ok!


(...)


Narrado Por


A pior coisa é o colégio, acabei de sair dele ouvindo os cochichos e os risinhos. Todos comentando do acontecido. Quando cheguei na entrada do colégio parei esperar as meninas. Mas nada de elas saírem. Até que uma voz soou atrás de mim.


- ? - Ela se virou.
- Oi! - Olhou o garoto surpresa.
- Está melhor?
- Uhum. - Olhou , no fundo se lembrava de tudo, apesar de sua voz ser completamente diferente, era rouca, e ele parecer não ser do jeito que parecia nas conversas, ela sentia um friozinho quando o via.
- Vim ver você. - Se aproximou, estendeu uma flor a ela.
- Obrigada! - Pegou e abaixou a cabeça.
- Acho que...aquilo nos deixou tensos. Espera aí. - Ia saindo.
- On... - Ele entrou atrás de um carro e saiu de novo, seguiu até ela.
- Olá, sou ...A menina Linda é? - Ela sorriu fraco.
-.
- Sobrenome? – Sorriu.
- Desculpa, só falo depois do segundo encontro. - Ele riu.
- Gostaria de ir tomar um sorvete?
- Pode ser! - Sorriu e andaram lado a lado.
- Sabe...ela só errou em uma coisa. - o olhou. - Seus cabelos podem ser perfeitos, mas seus olhos superam. – Sorriu.


corou e sentiu ele segurar sua mão, aquelas mãos firmes do jeito que ela imaginou. Olhou o menino que olhava para frente e sorriu tímida, ele ouviu o riso abafado e a olhou, ela desviou o olhar sorrindo.


- O que foi?
- Meu sobrenome é .
- Mas não era só no segundo encontro?
- Acho que já nos conhecemos o bastante.
- É, eu também acho! - Sorriu a abraçando de lado.


(Semanas depois.)


- Onde vai? – perguntou quando pulou da cama.
- No ensaio da banda do meu namorado. - Sorriu abertamente e saiu do quarto correndo escada a baixo.
- Vai cair! – Sra. chamou a atenção.
- Tchau mãe! - Abriu a porta e pulou no colo do menino que estava já na porta.
- Isso tudo é animação?
- É. - Segurou na mão dele e andaram.
-Espera ai, espera ai! - A puxou colando seus corpos. - Você esta linda! - Falou lhe dando um selinho.
- Você também está. - Ele se olhou.
- É eu sei. - Ela gargalhou
- Convencido!
- Eu convencido?
- É! - Se soltou dele.
- Convencido... - Correu atrás dela que riu fugindo.
- Socorro...
- Volta aqui menina! - gargalhava.


Ele a pegou, ela segurou o riso.


- O que foi? – perguntou segurando o rosto dela
- Nada. - Encostou o rosto no peito dele o abraçando e sorriu.
- ... - Ela sorriu, amava aquela voz.
- ... - Suspirou e ele sorriu a abraçando também. - Eu te amo! - Falou baixinho, ela sentiu ele a apertar mais. - Ai, ai.
- Te amo! - Riu fraco a soltando.
- Mas continua sendo um convencido. - Riu e ele a jogou em suas costas a deixando de cavalinho.
- Se segura! - Correu e ela gargalhou.


Tarde demais o conheci, por fim; cedo demais, sem conhecê-lo, amei-o. - William Shakespeare.


5 comentários:

  1. Ah eu acabei de ler la no twitter, eu achei mt top, gostei msm parabens

    ResponderExcluir
  2. perfect velho d+ ameiiii simplesmente perfeito lindo

    ResponderExcluir
  3. Ameeeeeeeeeeeeiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Posta Mais hojeeeeeeee pfpfpfpfpfpfpfpfpfpfpf

    ResponderExcluir

Comentem, gosto dos comentários!Sem xingamentos okay?